aaaa

Por: André Ferreira

em 27/09/2017

Foto André.png

André Ferreira é Diretor na Green  Desenvolvimento humano Master Reiki, Coach certificado pela International Coaching Community, Administrador ,especialista em Qualidade , e Instrutor em Mindfulness.

             Para muitos, não passamos de vítimas entregues às garras cruéis das situações inerentes ao progresso insano de nosso mundo moderno, e que por mais que você tente manter-se uma pessoa equilibrada, mais cedo ou mais tarde, na maior parte das vezes mais cedo, todos nós vamos acabar manifestando alguma patologia provocada pelo estresse cotidiano. Seria essa a verdade? Ou temos alguma chance contra esse que é considerado o grande vilão dos nossos tempos?

 

            Não vou ficar repetindo aqui o que todo mundo já sabe sobre os efeitos mais conhecidos do que o estresse pode causar na saúde das pessoas, também não tenho a pretensão de dar aulas sobre o funcionamento do sistema nervoso para que você possa entender como o estresse se manifesta dentro do corpo humano. Mas, se você quiser dar uma repassada em alguns desses temas, leia clicando nesses links:

 

Pesquisas indicam que estresse é transmitido por gerações… 

Cientistas descobrem ligação entre estresse e doenças cardíacas

Não é só o cérebro. Veja como o estresse afeta o corpo humano

 

              Meu primeiro objetivo com este artigo, é saber se você é uma pessoa que acredita que somos simples passageiros na locomotiva do estresse, e que não existe nada que você possa fazer para mudar essa dura realidade. Por acaso é nisso que você acredita?

Bem, se você respondeu um sim para essa pergunta, tenho o prazer de lhe afirmar que está redondamente equivocado.

A psicologia moderna já comprovou, através de vários estudos sobre as causas do estresse, que na verdade são dois os agentes importantes nessa dinâmica geradora de tantas doenças: os estímulos ambientais e as respostas dadas por nosso organismo frente a esses estímulos.

           

              Os estímulos não estão sob nosso controle. Você não pode controlar as condições do tráfego que acontecem durante sua jornada diária no caminho de sua casa para o trabalho. Você também não tem um poder divino para programar os comportamentos das demais pessoas que interagem com você todos os dias. Muita gente até tenta reduzir a quantidade desses estímulos, mudando para cidades menos movimentadas, deixando de se relacionar com pessoas com quem acabam tendo conflitos, mudando de emprego etc. Mas, a verdade é que quando parece que um estímulo de estresse é afastado de vez, um novo acaba surgindo, gerando assim uma espiral sem fim e longe de se alcançar algum controle.

 

              Por outro lado, a resposta que seu organismo apresenta a qualquer um desses estímulos pode sim ser alterada por qualquer um de nós. Tudo depende da interpretação que damos a esses estímulos. Essa teoria nos retira do papel de vítimas e nos coloca como responsáveis pelos efeitos do nosso estresse, ou seja, nos coloca no comando dessa grande locomotiva que é capaz até de tirar a nossa própria vida, ou de algum pobre infeliz que cruze em nosso caminho quando estamos passando por uma crise de estresse.

Isso explica as reações diferentes entre indivíduos expostos aos mesmos estímulos todos os dias. Alguns, ficam doentes, acabam utilizando remédios para dormir, ou para ansiedade, vivem explodindo com as pessoas. Outros, parecem não sofrer os mesmos impactos dos problemas do cotidiano, passam por eles com certa tranquilidade, conseguem encarar o mundo de forma mais equilibrada.

E você deve estar aí perguntando: É possível aprender a ser mais equilibrado, e melhorar as respostas de meu organismo nas situações de estresse? Existe alguma técnica para se chegar a esse estado saudável sem que seja preciso dar “um pé” em todos os agentes geradores de estresse: família, relacionamentos, carreira, vida na cidade etc?

Sim, existe sim!

E a solução parece ter sido encontrada há milhares de anos, e cabe em uma simples frase:

 

“Simplesmente fique no aqui e no agora”

 

             Essa é a essência da prática da Atenção Plena ensinada pelo Buda e que desembarcou aqui no ocidente com o nome de Mindfulness. E antes que você ache que eu estou querendo converter você ao budismo, eu explico que Atenção Plena não tem nada a ver com religião, com posição de lótus, mantras ou misticismo. Você só precisa estar presente, focando em sua respiração, em seu corpo e depois abranger tudo o que está acontecendo dentro e fora de você. Mas, para que possa ter êxito nessa prática, é preciso treinar sua mente em alguns fatores importantes que podem ser alcançadas com a prática da meditação de Atenção Plena:

 

  • tenha uma mente de principiante, colocando curiosidade no lugar das certezas;
  • não julgar os acontecimentos, simplesmente registrar os acontecimentos;
  • aceitar a realidade dos fatos que acontecem afastando a ilusão de controle;
  • parar de lutar contra os pensamentos desagradáveis;
  • buscar a serenidade como filosofia de vida;
  • aceitar-se ;
  • e ter compaixão por si mesmo.

       

             Muita gente acaba não acreditando na força que tem, e ao ler um texto como este, pode imaginar que chegar a um estado como esse seja uma grande ilusão, algo surreal. Mas, o que mais tenho visto nos cursos do AQUI (Atenção de Qualidade Integral) que venho ministrando, são pessoas que começam de forma cética, quase não acreditando em suas possibilidades, mas que depois do segundo ou terceiro encontro começam a se surpreender com o poder que 10 minutos de práticas diárias podem gerar em suas vidas. São inúmeros os depoimentos que já colhi após os nossos cursos, vou expor dois deles aqui, só para que você possa compreender melhor a que me refiro:

 

“Tenho a sensação que um novo caminho se abriu para que eu siga em frente com mais tranquilidade”  Roberta Serra Negra – Junho / 2017

 

“O programa Aqui apareceu na minha vida no momento certo, digo isso, pois estava com um sentimento de muita angústia, pressão no peito e nó na garganta em razão de coisas que estão acontecendo na vida pessoal e trabalho. Hoje me sinto leve, percebendo meus sinais e conseguindo contata-los através da respiração, meditação. Não estava dormindo nem 3 horas seguidas, hoje durmo mais que 6 horas direto. Me sinto mais feliz e no controle das minhas emoções!” 

Pierangela M.S. de Campos Barbosa – Maio/2017

 

              O que aconteceu com a Roberta e a Pierangela também aconteceu comigo e com dezenas de pessoas que estão sendo apresentadas a prática da Atenção Plena. Pessoas que não estão mais fugindo de suas vidas, e que encontraram mais serenidade vivendo nas mesmas condições em que todos vivem. Simplesmente aprenderam a ver as coisas como elas são, aprenderam a levar a vida com Atenção Plena, com consciência e aceitação.

 

              Talvez, depois de tudo o que escrevi aqui, você esteja curioso para conhecer um pouco mais sobre o Programa AQUI, ou quem sabe seja uma pessoa que já está aberta, buscando mudanças em sua vida, o que vai levá-lo a se inscrever em uma de nossas turmas, para poder tirar suas próximas conclusões sobre esse assunto. Então, click aqui e visite a página do Programa AQUI ,começando a dar os próximos passos.

 

               Seja lá qual for sua decisão após ler esse texto, saiba que desejo a você uma vida livre dos efeitos maléficos do estresse, alcançando uma vida realmente plena em tudo que fizer.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER

* indicates required